Ahh, Edmundo!

30 05 2008

Eu pedi que não faltasse vontade, garra e determinação ao time do vasco no difícil jogo contra o sport. E não faltou. Fiquei feliz de ir a São Januário e ver mais que um estádio lotado e fervendo como de costume – e a torcida mais bonita do que nunca. Vi um time que se dedicou até o último minuto em busca de reverter o placar do jogo anterior.

O Vasco não fez uma de suas melhores partidas tecnicamente, mas na base do empenho conseguiu fazer um gol aos 19 do segundo e outro já nos acréscimos. Não pude deixar de lembrar que escrevi na terça-feira que o jogo Flu x São paulo deveria servir de exemplo para o Vasco. O segundo gol- do Edmundo- foi suado e saiu no finalzinho, assim como o de Washington; o primeiro-do Leandro amaral- deu esperança assim como o de Dodô. A diferença é que o gol no sufoco, do vasco, não foi o da classificação.

Infelizmente, o gol do animal apenas adiou a eliminação. Logo no primeiro pênalti ele mesmo isolou a bola. Ninguém mais perdeu e o Sport, com muito mérito, se classificou pra final. Apesar de achar que pênalti não é loteria, mas sim competência (que sempre faltou ao animal pra cobrar pênaltis), sai orgulhoso de São Januário. O Vasco lutou muito e – infelizmente- foi eliminado por incompetência de um único jogador. Talvez se não fosse o Edmundo o Vasco não teria chegado ao empate no final, talvez nem a semifinal. Mas ele errou quando não podia errar! Não estou sacrificando ele, só o culpando pela derrota, o que é bem diferente e pra mim não é nada demais. Os jogadores estão ali pra isso e errar faz parte. Os torcedores que têm a mania de considerar a pior pessoa do mundo o cara responsável pela derrota. E ele não é. Também não seria a melhor pessoa do mundo caso fosse o principal responsável pela vitória.

Continuo o considerando ídolo, craque e tudo mais, mas espero que ele bote na cabeça que pênalti não é pra ele. Isso não é um grande problema, apenas uma limitação. Têm muitos jogadores que não fazem a metade do que ele faz mas batem pênalti melhor do que ele. Espero que o grito desse último ano de carreira (pelo menos ele disse que é ) seja o “Ahhh, eh Edmundo!” de exaltação, não o “Ahh, Edmundo” de lamentação.

Mas enfim, estaria com vergonha se meu time não tivesse lutado da maneira que lutou, se tivesse levado um 3×0 do sport em São Januário. Perder faz parte do futebol, assim como vencer. A grande questão não é perder ou vencer, mas sim como perder ou vencer. Estou mais orgulhoso da derrota do meu time do que estaria caso ele tivesse vencido com um erro descarado a seu favor. Garanto que os tricolores estariam muito orgulhosos mesmo se o Washington não tivesse feito aquele gol. Parece que parte da torcida vascaína concorda comigo, tanto é que os aplausos foram maiores que as vaias ao fim da partida. Vida que segue.

“Sou vascaíno e o sentimento não pode parar”

Saudações Vascaínas!

E boa sorte ao Flu na Libertadores.

Anúncios




E a zebra foi pro mato…

14 05 2008

Depois de vencer a zebra do campeonato por 5x1na primeira partida e praticamente carimbar o passaporte para as semifinais da Copa do Brasil, O Vasco foi a Maceió e derrotou o corinthians alagoano de novo, desta vez por 3×1. O time carioca aguarda a partida entre Inter e Sport para saber quem será seu adversário.

O jogo entre Vasco e Corinthians-AL foi marcado para as três horas da tarde, devido a ausência de refletores no estádio do time de Alagoas. Nelson Feijó, também conhecido como “Nelsão”, esteve lotado, e a torcida vascaína (muito forte nessa região) foi maioria.

Com isso, os cariocas se sentiram em casa, e desde o início da partida cadenciaram o jogo, administrando o resultado que lhes era muito favorável. Os alagoanos não pressionaram, mesmo assim levaram perigo ao gol de Tiago por duas oportunidades- ainda antes dos 20 minutos- obrigando o goleiro a fazer defesas difíceis. Porém, aos 22 do primeiro tempo, Edmundo tocou na frente pra Leandro Amaral que, tendo partido de antes do meio campo, aproveitou a linha burra da zaga adversária e saiu cara a cara com o goleiro. Deu um drible da vaca e sem dificuldades concluiu pra gol.

O Corinthians mal teve tempo de reagir, pois aos 27 minutos, Alex Teixeira recebeu na direita, invadiu a área e pedalou pra cima do zagueiro, depois só tocou com categoria no canto esquerdo do goleiro. Se ainda existiam dúvidas quanto a classificação vascaína, elas se acabaram com esse gol.

A partir daí o Vasco foi segurando o resultado, e o honrado time alagoano se preocupou apenas em jogar futebol; bom futebol por sinal. Talvez tenha sido uma tentativa dos jogadores de, quem sabe, projetarem seus nomes no futebol brasileiro. Essa é a maior graça da democrática Copa do Brasil!

foi assim durante todo o segundo tempo, que ainda teve Nil descontando para o Corinthians em cobrança venenosa de falta (pra mim, com falha do Tiago), e Rodrigo antônio ampliando para os cariocas nos acréscimos, apó mais uma assistência de Edmundo.

No fundo, todos já sabiam que era quase impossível o Vasco ser eliminado. Milagres como o do América do méxico não acontecem toda semana…

Na próxima fase o Vasco pega internacional ou Sport. Na primeira partida os colorados venceram por 1×0 no Beira-rio; jogam por um empate na ilha do Retiro. Do outro lado da chave, o corinthians(esse é o paulista mesmo) venceu o São Caetano e aguarda a definição do confronto entre Botafogo e Atlético mineiro.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS-AL 1 X 3 VASCO

Estádio: Nelson Feijó, Maceió (AL)
Data/hora: 14/5/2008 – 15h (de Brasília)

Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Belmiro da Silva (BA) e Adson Marcio Lopes Leal (BA)

Cartões amarelos: Pablo e Jorge Luiz (VAS); Rogérinho, Du, Reinaldo Alagoano, Nélio, Carlos Renato e Daniel (COR)
Cartões vermelhos: –

GOLS: Leandro Amaral, 22’/1ºT (1-0); Alex Teixeira, 27’/1ºT (2-0); Nil, 16’/2ºT (2-1); Rodrigo Antônio, 47’/2ºT (3-1)

CORINTHIANS-AL: Veloso, Maizena, Rodrigo (Éverton, 30’/2ºT, Wilson e Rogerinho; Carlos Renato, Du (Nil, intervalo) e Daniel; Fábio Neves, Serginho (Nélio, 17’/2ºT) e Reinaldo Alagoano. Técnico: Gilmar Batista.

VASCO: Tiago, Rodrigo Antônio, Luizão e Jorge Luiz; Pablo (Vilson, intervalo), Jonílson, Leandro Bomfim (Souza, 46’/2ºT), Alex Teixeira (Wagner Diniz, intervalo) e Madson; Leandro Amaral e Edmundo. Técnico: Antônio Lopes.

Fonte:Netvasco

Até mais!

Guilherme de Alencar