Voando baixo e sonhando alto

21 08 2008

Com a espetacular marca de seis jogos e seis vitórias consecutivas no Brasileirão, o Botafogo já alcança a terceira melhor colocação da tabela. Após a vitória sobre o Cruzeiro, adversário direto na luta pelas primeiras posições no campeonato, o Bota alcançou o terceiro lugar ultrapassando o Palmeiras em saldo de gols, e está à apenas dois pontos dos mineiros. O jogo não foi lá uma maravilha de apresentação, de ambos os lados via-se uma certa apatia no primeiro tempo. Na segunda metade da peleja, o Bota veio pra sufocar a raposa mineira, que, atabalhoada, acabou perdendo um homem aos 24 minutos e logo após sofreu um gol de pênalti (duvidoso?), cobrado por Lúcio Flávio.

No próximo domingo o glorioso enfrenta o Vasco, no maraca, podendo com isso ultrapassar o Cruzeiro, dependendo dos resultados da rodada. É o Fogão sonhando alto e voando baixo nesse segundo turno do Brasileirão.

A torcida é outra que parece estar de bem com o futebol, comparecendo sempre em grande número ao Engenhão, ela apóia, reclama, xinga, resumindo, faz tudo que um torcedor deve fazer na arquibancada.

É isso aí fogão, se Deus quiser, daqui pra frente só teremos o que comemorar, e zuar os outros times cariocas que não se encontram na mesma situação, por que afinal, futebol é futebol e vice-versa.

Rodrigo Santos





Wellingool está de volta!?

14 07 2008

Duelo de Alvinegros na Vila Beomiro

Desencantou! Graças a Deus Wellington Paulista me fez morder a língua ( tomara ), um golaço no domingo contra o Santos e uma partida para se guardar na memória, ambas as equipes jogaram o futebol que sabem.

O Bota marcou logo aos 3 minutos do 1º tempo com ele, Zé Carlos, de falta com perfeição no canto direito de Fábio Costa, não demorou muito o Santos chegou com perigo, mas a trave salvou o Alvinegro carioca de sofrer o primeiro gol. O jogo no 1º tempo foi lá e cá, as duas equipes chegando com muito perigo, Jorge Henrique desperdiçou, nos pés de Fábio Costa, duas grandes chances de ampliar o marcador para o Bota, o Santos também parava em Castillo.

Aos 17 minutos da primeira etapa Wellingool recebendo lançamento no alto de Thiaguinho, emendou de primeira e estufou a rede do Peixe pela segunda vez, um Golaço!

No segundo tempo quem veio com disposição foi o Peixe, Cuca colocou Kléber Pereira no lugar de Thiago Luíz, adiantou. Mas quem chegou primeiro foi o Bota, aos 3 minutos Wellingool cruzou para Jorge Henrique fazer o corta luz para Zé Carlos que chutou cruzado para fora.

Aos 12 o Santos teve um gol bem anulado, num meio voleio de Lima que foi por cima da meta de Castillo.

O jogo seguiu sonolento até os 34 minutos quando Kléber Pereira recebe um cruzamento do meio de campo, domina no peito entre dois marcadores, e toca no canto direito de Castillo. Ridícula falha de marcação da zaga do Bota, que há tempos não mostra um bom futebol.

Aos 41 minutos Kléber Pereira, em posição irregular, recebe passe na grande área dribla Castillo e toca pro fundo do gol, empatando a partida, que terminou assim, com o Santos em 19º( penúltimo ) lugar e o Botafogo lutando pra subir mais na tabela apenas em 14º.

Foi um bom jogo, aparentemente as duas equipes estão melhorando, o Bota com a chegada de Ney Franco, parece que vai voltar aos eixos e lutar pelo título que a anos não conquista, sempre lidera uma parte do campeonato e depois cai de produção, e quem sabe esse ano não funcione ao contrário?





Procura-se …

24 06 2008

De mal com a rede.Mais uma derrota no brasileirão, o Botafogo parece ter se perdido após a final do Carioca, parecia que iria melhorar na Copa do Brasil mas as boas atuações das ditas “peças chaves” do elenco alvinegro não voltaram e perdemos a chance de sermos campeões perante o Corinthians, numa partida para ser esquecida e nunca mais mencionada por qualquer alvinegro que se preze torcedor do Botafogo. Com atuações no máximo pífias o alvinegro carioca amarelou na semi-final. Quando pensávamos que era levantar a cabeça e sacudir a poeira, o time consegue ir pior ainda no brasileirão. Onde Wellington Paulista deixou a habilidade? Alguém sabe? Em General severiano é que não foi, vinha sendo uma surpreendente contratação da diretoria, mas parece que a surpresa acabou, o churrasco esfriou e a cerveja chocou nessa festa toda, já não sei a quantos jogos que não marca, e pior ainda, não atua convincentemente, seria ele ainda merecedor da titular 9 do Glorioso? Não pensem vocês que a culpa é só do Wellington, Alessandro já poderia estar esquentando o banco do Engenhão a muito tempo, nunca achei que fosse sentir falta do traíra Joílson mas a coisa está tão feia que já estou até apelando pra essas peças esquecidas, o mesmo pode-se dizer do Dodô e do Reinaldo, bons tempos também aqueles com o André Lima, em que a única preocupação era a zaga e mesmo assim nem tanto. Agora a única coisa que NÃO preocupa é a zaga já que André Luís e Renato Silva vêm fazendo um trabalho de razoável pra bom e Castillo, que falhou na semi-final da Copa do Brasil, voltou a passar segurança para a torcida alvinegra. Pode-se também incluir nessa lista de boas atuações os meias Túlio e Diguinho que têm ajudado o glorioso a não perder de muito. Mas a partir do meio campo a história já muda, Lúcio Flávio parece não saber o que fazer com a bola, Carlos Alberto…é ele pode-se colocar na lista dos que estão em fase de adaptação, indo bem até, Wellington Paulista já foi mencionado e Jorge Henrique é outro que também aparenta estar perdido em campo, mas nesse tenho confiança que vai voltar a boa fase, Lúcio Flávio também, tenho fé nos dois. Já nos laterais, valha-me Deus, com a volta de Luciano Almeida as coisas pelo setor esquerdo irão melhorar, mas são duas as laterais e a direita já se tornou uma avenida.Ele Já deu o que tinha que dar.

Bebeto, peço encarecidamente, arranje um lateral direito, nem que seja das divisões de base. Qualquer coisa é melhor que o Alessandro. Ele começou bem, eu sei, mas convenhamos, já deu o que tinha que dar, junto com o Wellington Paulista, só isso que peço, um lateral decente e um atacante que MARQUE gols pelo menos! E tente segurar os jogadores, pague os salários, prometa mundos e fundos, mas não deixem depenar o Glorioso como no ano passado, as feridas de Dodô, Zé Roberto, Juninho, André Lima e outros, ainda estão abertas e não queremos mais esse sofrimento, eu sei que ser alvinegro é assim mesmo, que botafoguense sofre, mas não precisa ser tanto! Já está virando sado-masoquismo torcer para o Glorioso.

Temos confiança na diretoria, diferente de outros clubes, não nos faça perdê-la.

Força ao alvinegro!

Rodrigo Santos





Vitória na marra!

22 05 2008

Em um jogo onde mais de 30 mil alvinegros compareceram ao Engenhão para prestigiar o glorioso, quando as torcidas que estavam em crise com a diretoria deram trégua as desavenças, numa noite em que o Botafogo daria o primeiro passo em direção a final, o Bota demonstrou raça e garra, mesmo com a torcida estando praticamente apática, sendo superada pela torcida do Corinthians (em menor número).

Com um primeiro tempo sem muita ousadia, o Corinthians abriu o placar aos 22 minutos com Carlos Alberto, numa bobeada geral da equipe carioca e a torcida que já quase não apoiava começou a vaiar. Alguns minutos antes Wellington Paulista havia perdido uma oportunidade senão óbvia, ao menos claríssima de gol, num erro ridículo da zaga corinthiana Wellington apareceu cara á cara com Felipe e desperdiçou uma chance de ouro para sair na frente do placar. O apelido Wellingol já está começando a perder o sentido, a seis jogos sem marcar o atacante já está perdendo a mágica e o prestígio frente a torcida alvinegra.

Perdido em campo o Bota não conseguia encaixar ataques nem contra-ataques, com as peças fundamentais da equipe falhando nos mais básicos fundamentos o glorioso contou com defesas do jovem Renan e com a sorte para não sair com uma desvantagem maior para os vestiários.

No segundo tempo, após conversa nos vestiários, Zé Carlos deu lugar a Fábio que entrou em campo mostrando o que faria pelo resto da etapa complementar, atazanar a defesa do Corinthians. Após tabelinha com Eduardo na entrada da área o baixinho Jorge Henrique, sofreu pênalti de Carlos Alberto e assim deu início a uma partida muito mais emocionante daquela que foi vista no primeiro tempo. Lúcio Flávio, que ficou apagado nos primeiros 45 minutos, bateu magistralmente o pênalti e empatou para o glorioso. Daí pra fernte só deu Botafogo, com a marcação ajustada, o Corintihians não conseguiu mais atacar eficientemente e passou somente a defender e segurar a bola para ganhar tempo. Enquanto isso o Bota era só ataque, Eduardo deu lugar á Adriano Felício, e Wellington Paulista saiu para a entrada de Alexsandro. O Corinthians seguia com o joguinho retrancado e apenas saía nos contra-ataques mas com pouco perigo, aos 43 minutos um escanteio do lado direito do ataque alvinegro, a bola é alçada na área, a zaga corinthiana corta errado e a redonda sobra pra ele, Jorge Henrique, apenas oportunamente empurrá-la para o fundo das redes de Felipe e sacramentar a vitória do Botafogo.

Com atuações no máximo razoáveis Wellington Paulista e Zé carlos foram substituídos. O Bota precisa URGENTEMENTE de um novo atacante e um novo lateral direito pra quando Alessandro estiver suspenso ou machucado (quando não é uma coisa é outra, nunca vi igual!) alguém cobrir o vazio que aparece naquele setor do campo e alguém pra deixar o Wellingol no banco, pra ver se ele volta a fazer gols.

Ficha do jogo

BOTAFOGO 2 x 1 CORINTHIANS
Renan, Renato Silva, André Luís e Eduardo (Adriano Felício); Alessandro, Leandro Guerreiro, Túlio, Lúcio Flávio e Zé Carlos (Fábio); Jorge Henrique e Wellington Paulista (Alexsandro). Felipe, Carlos Alberto, Chicão, William e André Santos; Fabinho, Eduardo Ramos, Diogo Rincón (Acosta) e Lulinha (Fábio Ferreira); Dentinho e Herrera.
Técnico: Cuca. Técnico: Mano Menezes.
Gols: Carlos Alberto, aos 22 minutos do primeiro tempo. Lúcio Flávio, aos nove, e Jorge Henrique, aos 43 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: André Santos, Carlos Alberto, Lulinha, Fábio Ferreira, Fabinho (Corinthians); Wellington Paulista, Jorge Henrique, Alessandro, Túlio (Botafogo). Cartão vermelho: . Público: 30.707 pagantes. Renda: R$ 540.580,00.
Estádio: Engenhão. Data: 20/05/2008. Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (Fifa-RS). Auxiliares: Altemir Haussman (Fifa-RS) e Roberto Braatz (Fifa-RS).

E em homenagem ao nosso amigo Fred, parabenizo o Fluminense pela vitória sobre o São Paulo, e tenho que dar o braço a torcer, o jogo de ontem foi sem dúvida o melhor jogo do ano até agora. E deixo uma proposta: Se o Bota for campeão da copa do brasil eu vou pintar meu cabelo de preto e branco! E se o flu for campeão da libertadores o Fred vai pintar o dele de verde, vermelho e branco.

O que você acha Fred?

Rodrigo Santos





A volta do paredão não evitou a derrota

18 05 2008

Em noite inspirada o goleiro alvinegro salvou o Botafogo de ser goleado pelo Cruzeiro, com atuação de gala Catillo fechou o gol e voltou a sentir a coxa no segundo tempo. Com atuações apagadas o Bota levou pouco perigo a meta do goleiro Fábio, que não teve muito trabalho já que os atacantes do Botafogo pareciam não achar o caminho do gol. Wellington Paulista, que começou o campeonato carioca dando a impressão que seria o destaque do ano do futebol brasileiro, chegou a um ponto em que aparenta não mais saber como concluir uma jogada, e as vezes nem sequer dar continuidade as táticas do mestre Cuca. Vamos Wellingol! O Botafogo precisa de você e dos seus gols.

Jogando com um homem a mais desde 15 do segundo tempo quando Túlio Souza, que ainda não mostrou esse ano o mesmo futebol que jogou pelo Coritiba ano passado, foi expulso, o Cruzeiro não conseguiu ampliar a vantagem obtida no primeiro tempo, Guilherme marcou de pênalti aos 11 minutos, e mesmo com o apoio da torcida que compareceu em bom número ao Minerão, não conseguiu marcar o segundo em um Botafogo desorganizado, misto e com um homem a menos. Mérito do guarda-metas Botafoguense Castillo que fez milagres debaixo das traves e tambem quando saía bem do gol. Seguindo somente no brasileirão o Cruzeiro mantém os 100% de aproveitamento na competição e enfrenta o Santos no próximo final de semana.

Carlos Alberto estreou no Botafogo com uma atuação boa, nada de se encher os olhos mas pelo menos jogou bem. Foi substituído por Abedi que entrou apenas para errar passes e numa dessas o Cruzeiro quase marcou o segundo, mas parou nas mãos de Castillo que saiu bem do gol nos pés de Jonathas e amenizou o erro de Abedi.

Pensando agora no Corinthians o Botafogo trabalha pesado em General Severiano. O jogo dessa terça-feira é o primeiro passo para chegar as finais da Copa do Brasil, competição que o Bota nunca conquistou e razão pela qual está poupando seus titulares no Brasileirão. Agora é uma questão de jogar o futebol do início do ano e vencer BEM o Corinthians aqui no Engenhão para ter uma vantagem no jogo de volta em São Paulo.

 

http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM827737-7824-MASCOTE+PERIVALDO+PRONTO+PARA+DAR+FORCA+AO+BOTAFOGO+NO+ENGENHAO,00.html

Botafogo que também conta com a torcida de Perivaldo, mais novo mascote alvinegro. O cachorro que nasceu com uma mancha branca em forma de estrela nas costas esteve no Engenhão contra o Atlético e vai estar no jogo contra o Corinthians, será esse cãozinho a reencarnação de Biriba, o mascote do Bota na década de 40? Outro que vai ver o jogo da arquibancada é o meia Carlos Alberto, que não foi inscrito na competição.

Rodrigo Santos





O Galo virou canja no Engenhão

16 05 2008

Repetindo o feito do ano passado o Botafogo eliminou o Atlético MG jogando aqui no rio, durante uma partida difícil (em alguns momentos, difícil de assistir), o Bota marcou com Wellinton Paulista (ou Zé Carlos, ainda não decidi) no primeiro tempo, e no finzinho da etapa complementar, Alessandro fechou o caixão do pobre galináceo mineiro que não satisfeito em ter levado 6 gols do Cruzeiro na final, sem marcar nem umzinho, ainda foi eliminado pelo Glorioso em pleno ano de comemoração do seu centenário, algo não vai bem nesse galinheiro, Geninho já pediu as contas e a diretoria atleticana concordou com a saída do técnico. Mas seria culpa do Geninho essa série de revéses? Ou seria ele apenas uma parte do problema? O que importa é levantar a cabeça e mirar a ultima possível conquista para esse ano: o Brasileirão. Mas se continuar jogando desse jeito o Galo tem tudo para viver a pior fase dos seus 100 anos de existência.

Em quanto isso em General Severiano, o Glorioso alvinegro carioca vive uma semana de preparação para o primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil. A exemplo do Galo, o alvinegro deve melhorar o futebol que vem jogando, se não desejar ficar novamente pelo caminho na segunda mais importante competição nacional. Todos que viram o jogo da última quarta-feira, sabem que o Botafogo tem mais futebol do que o que apresentou contra o Galo, MUITO MAIS! Basta nosso querido Wellingol lembrar como se faz gol, Jorge Henrique se lembrar que ele tem mais habilidade que apenas a de cair em todas as divididas, Lúcio Flávio, Diguinho, Túlio e Renan manterem as boas atuações, Zé Carlos continuar jogando como jogou a ultima partida contra o Atlético MG e Alessandro voltar a jogar o que vinha jogando no carioca.

Vou estar, como sempre, torcendo pelo alvinegro carioca no jogo contra o Corinthians e espero sinceramente assistir a um bom jogo, já que o Timão vem melhorando seu futebol. Tudo vai ser posto a prova agora, são 180 minutos para ambas as equipes mostrarem a que vieram.

Ficha do jogo  

BOTAFOGO 2 x 0  ATLÉTICO-MG
Renan, Renato Silva, Andre Luis e Leandro Guerreiro; Túlio Souza, Túlio, Diguinho, Lucio Flavio (Túlio Souza) e Zé Carlos (Edson); Jorge Henrique e Wellington Paulista (Alexandro). Juninho, Coelho, Marcos, Vinícius e Thiago Feltri; Rafael Miranda (Gerson), Márcio Araújo, Almir (Vanderlei) e Petkovic; Marques (Renan Oliveira) e Danilinho.
Técnico: Cuca. Técnico: Geninho.
Gols: Zé Carlos, aos 9, e Alessandro, aos 47 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Renato Silva, Diguinho, Zé Carlos (Botafogo); Marcos, Petkovic, Thiago Feltri, Vinícius (Atlético-MG). Público: 17.985 pagantes. Renda: R$ 255.075,00.
Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ). Data: 14/05/2008. Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa/PR). Auxiliares: Milton Otaviano dos Santos (Fifa/RN) e Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa/BA).

Rodrigo Santos