Poupar ou não?

13 05 2008

  finalmente pude postar aqui, espero que seja o primeiro de muitos posts, e que os leitores opinem. Então vamos lá! 

  Uma questão que tem estado muito presente nas rodas de discussão sobre futebol – na TV ou no boteco ali da esquina – é a decisão de alguns treinadores de pouparem seus times titulares no campeonato Brasileiro.

  Todo ano, quando o Brasileirão começa, tanto a Copa do Brasil como a Libertadores estão em fase decisiva, por isso, os treinadores dão prioridade a essas competições. Ouvindo a opinião de jornalistas conceituados , de diversos programas esportivos, cheguei a conlusão de que a maioria é contra a escalação de times reservas para poupar jogadores. Eles argumentam que tal atitude prejudica os espetáculos, e que os avanços nas técnicas de preparação física permitem aos atletas jogarem duas vezes por semana sem que haja sacrifício algum. Além disso, Garrincha, Nilton santos, Pelé, Tostão, Rivelino, Zico e muitos outros sempre jogaram três vezes por semana, numa época em que não existiam tantas condições de preparação.

 Do ponto de vista do espetáculo, fica muito claro que o melhor seria os times jogarem com sua força máxima. Porém, para o treinador é difícil escalar o craque do time na primeira partida do campeonato brasileiro, sabendo que três dias depois ocorrerá um jogo de vida ou morte em competição tão importante quanto. Soma-se a isso, o fato de que o Brasileirão terá mais 37 rodadas e terminará em dezembro, e mesmo sendo ruim começar atrás, ainda haverá tempo pra se recuperar.

 O ideal seria ajustar os calendários das competições disputadas pelos clubes brasileiros, enquanto isso não for possível espera-se que pelo menos os técnicos só poupem seus craques em ocasiões especiais.

E não deixem de conferir amanhã a cobertura das rodadas da Copa do Brasil e da Libertadores..até mais!

 Guilherme de Alencar 

Anúncios